Categorias
política

A onda do momento, a nova novela das 21h – *BC

*O Reflexões Escritas está participando da Blogagem Coletiva, projeto de escrita promovido pelo grupo Unidos do BlogaWeb, que é uma rede social que tem por finalidade divulgar os trabalhos e conectar os blogueiros. Os blogs participantes irão escrever textos sobre um tema específico e o tema escolhido para esse mês é
“Tribos Urbanas

Após essa leitura, apóie nosso trabalho, visite nossos blogs! Boa leitura!

Dia 09/06/2019 estreou a novela “A outra face do espelho”, ela tem a peculiaridade de ser escrita e dirigida por jornalistas, dentre eles um com prêmio Pulitzer.

Como não foi feita pela Vênus Platinada, o primeiro capítulo saiu na internet no domingo à noite e causou muito furor, deu nota até no Fantástico!

A história é sobre uma equipe de procuradores e magistrados que começa a combater a corrupção na política com A Operação, mas no meio do caminho, se perdem do objetivo inicial e uma rede de poder, intrigas e tráfico de influência domina as investigações, tornando-as suspeitas e parciais e isso respinga diretamente na imagem do juíz que posa de super herói nas fotos (olhar distante como se olhasse o horizonte e o futuro, postura ereta como se fosse o Superman) e do procurador do Ministério Público que coordena as investigações (este se apresenta como o jovem promissor de caráter ilibado, inquestionável inclusive porque ele é crente e fez jejum pra livrar o país “das garras da corrupção”)

A novela é baseada em fatos reais. Na história a operação entra em descrédito, porque são vazados documentos, mensagens e áudios que comprovam que o juíz e os acusadores atuavam em conluio tentando ajustar os supostos criminosos às leis e não o contrário, como preza o Direito. Isso gerou furor na opinião pública, que se fragmenta desde 2013 e houve defesas apaixonadas tanto da torcida dos coxinhas quanto da torcida dos mortadelas.

Os coxinhas alegam que é uma farsa, fabricada para confundir a opinião pública e que parte dos poderes está corrompido e os alvos de vazamentos foram vítimas de armação, “foram hackers que querem 5 minutos de fama e inventaram conversas comprometedoras”. Os mortadelas por sua vez, dizem que tais vazamentos só corroboram a tese de que o país está sob golpe judicial-legislativo desde 2016 e que todos os acusados devem ter seus processos anulados. Dentre os processados e presos pela Operação há um especial: O Líder, mentor intelectual e político dos mortadelas que foi preso e acusado num inquérito com provas frágeis e questionáveis.

Tanto coxinhas, quanto mortadelas fizeram manifestações sentidas de suas convicções nas ruas e na internet e, todos aguardam eletrizados os próximos capítulos que virão. O enredo é de tirar o fôlego! Ninguém sabe ainda o desenrolar das histórias, principalmente do juíz e do Líder; fato é que a ficção virou realidade e ambas torcidas já foram e irão novamente às ruas pra defenderem seus personagens, de acordo com suas convicções pessoais.

A novela gerou comoção nacional e #somostodosraquel #freerutinha são algumas das hashtags ululantes, nos trends do Twitter. Já virou guerra de tribos e como disse Maquiavel, as paixões impedem as pessoas de analisarem com clareza os fatos. As brigas nas redes e o distanciamento de pessoas na vida real contribuem para o acirramento dos ânimos. Amizades, namoros e laços familiares são feitos e desfeitos de acordo com o posicionamento, coxinha não se mistura com mortadela e vice versa.

Os coxinhas, de acordo com a lenda urbana, possuem essa alcunha por causa da gíria coxinha, dada aos PMs que ganhavam o quitute em troca de proteção às padarias. Eles podem ser identificados através de adereços de cores verde e amarela, camisa canarinha da CBF e alguma #somostodos[insira o nome de alguém aqui]. Defendem o nacionalismo populista e contraditoriamente o Estado mínimo, disseram que não tinham bandidos de estimação e depreciavam os mortadelas por seguirem O Líder, mas têm sobre eles a figura do super herói tupiniquim, o cara da capa preta que “por seus serviços inestimáveis ao país é promovido a ministro da justiça” e por ele irão às ruas manifestar; nas redes sociais utilizam orquestradamente os mesmos argumentos: sobre fórum de São Paulo, “é a minha opinião!”, moluscos, mitos, aceita que dói menos, “chola mais” e outras variações. Parte desse grupo segue um charlatão que ora é astrólogo, ora é filósofo, dos que não o seguem, alguns acreditam na terra plana e no movimento antivacinas e procuram reinventar a roda, entre outras coisas. Têm estereótipos de casal Barbie e Ken, “cidadãos de bem” e do capitão do mato que defende seu algoz.

Os mortadelas, de acordo com a lenda urbana, recebem R$30 e um X-greve (pão com mortadela) para comparecerem as manifestações, esse grupo é muito heterogêneo se comparado aos coxinhas, há desde intelectuais a lacradores, marxistas e trotskistas, esquerda cirandeira e liberal, progressistas moderados, burocratas sindicais e etc, todos no mesmo balaio. Geralmente usam adereços e camisas vermelhas e têm os estereótipos de homens barbudos, “bixas periféricas” e mulheres barbadas. Parte dessa tribo segue cegamente o Líder preso, uma outra parte defende o Estado forte e robusto rumo a quinta internacional e a superação das classes. Nas redes sociais alguns mais exaltados e sem base utilizam os seguintes argumentos “apaga que dá tempo, estude mais, melhore, atura ou surta” vai ter [insira a reivindicação aqui] sim e se não gostar vai ter mais… Outra parte desse grupo procura argumentar usando estudos, reportagens para embasar sua opinião.

A novela é recente e ninguém sabe quantos capítulos ela terá, somente os diretores sabem. O lance é estourar a pipoca pra acompanhar as cenas dos próximos capítulos!

b>Gostou? Não se esqueça de conferir também os textos dos outros participantes:

Essa blogagem coletiva foi organizada por meio da BlogaWeb – A rede social dos blogueiros e blogueiras.

Por Astrovalda Junqueira

Ghost Writter, "Literateuta"
"Escrever para não enlouquecer, novo bálsamo à alma"

5 respostas em “A onda do momento, a nova novela das 21h – *BC”

Olaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
A coxinha é de atum? Não gosto de frango… Vamos falar de coisas sérias: Esses factos baseados na novela parecem que pertencem ao século XVIII. Como é que ainda não evoluímos? Fico triste.
“foram hackers que querem 5 minutos de fama e inventaram conversas comprometedoras”. É necessário isto? NÃO!
Beijokitaz

http://www.devaneiosdemissl.com

Curtir

Acho interessante como você trouxe a questão da diversidade e das tribos para a esfera das tribos “políticas”. Muitas vezes nas discussões nesse sentido as pessoas deixam de ser racionais e acaba virando uma espécie de briga de torcida organizada e não pelo bem do país.

Abraços ❤

Curtido por 1 pessoa

Que bacana que você curtiu o texto. Confesso que a política tem impregnado todos os espectros das relações humanas, atualmente as pessoas estão se identificando mais pelas convicções políticas do que por outras coisas…

Curtir

Deixe uma resposta para devaneiosdemissl Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s