Categorias
Sem categoria

Fragmentos

1- No sarau “festa de confraternização dos colegas de trabalho” recitei poemas mas não quis cantar, algo que gosto muito de fazer, estou estranha: não sinto vontade e nem alegria.

2- Subindo as escadas da estação, vi o brilho no olhar do moço ao ver a mulher amada chegando, por um momento acreditei que ainda existe amor…

3- Fui a um bar It, da moda. Pessoas artificiais. Fila de espera insana (R$8 a pagar pra esperar, pelo app organizador de fila), vão se foder! Na área do waiting paguei 30 dinheiros no drink apimentado do copo de papel, só pra sentir a experiência. Valeu a pena médio.

4- Descendo as escadas do metrô, um imbecil sem eira nem beira falando comigo, me chamando prum risca faca. Senti vontade de dizer “Olha bem pra mim! Vê se tenho cara de quem vai num risca faca, menos ainda com você!” Mas abstraí e fingi demência. O silêncio é um ótimo aliado às vezes…

5- O Ramazzotti (o drink e não o cantor) fez efeito. Uma rata cinza ao meu lado dentro do metrô me incomodava. Nas festas de final de ano o álcool faz todo mundo rir sem noção do ridículo. Senti uma vontade incontrolável de chorar e chorei copiosamente despertando a pena de uma passageira. Fui obrigada a descer na estação seguinte, perdi 30 minutos só pra me recompor. Odeio chorar sem motivo, menos ainda em público.

6- Lembrei da tia da minha amiga que respondeu o meu caderno de enquete, sucesso nos anos 90. Tinha uma pergunta, não lembro ao certo mas era algo como “o que te faz chorar?” Ela respondeu “choro pelo mundo”; na época éramos adolescentes e também respondíamos as respostas dos outros, achamos que ela mentia e zoamos demais. 20 anos depois, eu entendo suas lágrimas e sei que sua resposta era verdadeira.

Prozac, sertralina ou fluoxetina? Cannabis? Nada mais me dá prazer, estou niilista. Morrer parece opção, mas não de morte matada, não tenho coragem. Estou doente de Brasil, ainda restam 1113 dias…

Por Astrovalda Junqueira

Ghost Writter, "Literateuta"
"Escrever para não enlouquecer, novo bálsamo à alma"