Categorias
política

Quimera paulistana, parte 3

* Baseado em personagens reais porém algumas situações são fictícias, qualquer semelhança é mera coincidência.

Eleições 2020 chegando, os partidos já preparam suas prévias. Em SP capital um Freak show oficial, caso todos os nomes sejam confirmados neste pleito. Uma mixórdia eleitoral parecida com a de 2018.

Como a literatura permite licenças poéticas, eu lírico e criações ficcionais imagino como seriam os governos dos “prefeitáveis” paulistanos e escrevo sobre isso, com um toque hiperbólico.

Vamos à terceira parte.

Marta Suplicy ou Fernando Haddad (PT)

Ambos são ex prefeitos de SP.

Haddad O Poste faz o que Lula manda, assim foi em 2018 e pegou muito mal, pois foi reduzido a mero capacho e agora em 2020 tem o aval do seu mentor para tentar ser prefeito mais uma vez.

As únicas coisas boas da sua gestão foram os ônibus noturnos e a ampliação das ciclovias.

Foi uma época de ouro para a arrecadação municipal porque todo mundo habilitado levou, pelo menos, uma multa de trânsito. Instalou radares a rodo e contraditoriamente não fez melhorias na cidade com esse dinheiro.

Mais faixas de ônibus e ciclovias, porém foram instaladas em vias esburacadas, a cidade também ficou largada às traças em outros aspectos. Multas mais o abandono citadino resultaram na sua acachapante derrota para Dória aventureiro em 2016.

Marta Suplicy foi uma boa prefeita: implementou o bilhete único, a renda mínima atrelada a cursos de capacitação profissional, com possibilidade de emprego quando concluídos; criou os CEUS, andou de busão de madrugada nas periferias. Gastou os saltinhos dos seus Loubotins nas calçadas desniveladas em prol da massa.

Até deixou os cabelos desalinhados numa briga histórica com Chico Pinheiro no SPTV do meio dia, era época da transição do sistema de transportes com a transformação das peruas clandestinas em cooperativas. Foi uma bela treta, quem viu viu…

Porém foi limada da reeleição porque criou a taxa do lixo: taxa, tarifa, tributo são palavras que violentam os viventes.

A elite nunca suportou o fato de uma mulher de família quatrocentona fazer parte do PT e fazer algo pelo “populacho”, sempre a rejeitou.

Anos depois Marta conseguiu um feito Sui generis, ser desprezada pelo centro direita, quando se filiou ao MDB, mesmo votando a favor do impeachment da Dilma e conseguiu se queimar com seu eleitorado tradicional da esquerda por conta disso.

Ela e Haddad têm em comum Lula selando o destino político de ambos.

Em 2010 a candidatura à presidência seria dela, naturalmente, pois já tinha um bom capital político, mas Lula bateu o pé e como é ele quem manda e desmanda no partido foi Dilma a escolhida. Isso gerou mágoa e então Marta partiu pro MDB no auge da crise política que abatia o governo Dilma.

Depois de um exílio forçado da vida pública está a analisar, se submeterá a ser vice prefeita de Haddad ou não.

Caso ele seja o cabeça da Chapa e eventualmente eleito, se depender só dele, serão mais 4 anos de cidade abandonada. Oremos para que não comprem mais radares no atacado, afinal dinheiro do contribuinte é importantíssimo, já atender nossas reivindicações…

Outros nomes que correm paralelamente dentro do PT:

Eduardo Suplicy

Um ícone: na reintegração de posse, na praia e no show dos Racionais.

O Suplicy é o tiozinho fofo que quase todo mundo ama. É um político de fato e de direito. Um Matarazzo que poderia estar do outro lado da força, mas fala sobre a renda mínima cidadã para todas as pessoas, seu projeto de vida.

Com certeza, se eleito, irá implementar esse programa de alguma maneira e provavelmente teremos alguma melhora nos índices de desenvolvimento social e na educação da cidade.

Porém, será que ele tem perfil para prefeito? Ele sempre esteve nos parlamentos, mas, pra ser prefeito ele precisará ser mais conciso.

Ele fala devagar e bastante como se estivesse na brisa eterna do lisérgico. Teremos que preparar o ansiolítico para assistir às entrevistas dele.

Resta saber se irá prosseguir na prévia ou se retira a candidatura, seu nome é o mais sensato de toda a lista, mas em tempos de loucura sensatez é palavrão.

Alexandre Padilha

Quem é Alexandre Padilha na fila do pão? Você o conhece? Só sei que ele foi ministro com a Dilma e teve uma candidatura insossa pro governo de SP, perdeu pro Alckmin no primeiro turno.

Lula o quer candidato, Lula quer.

Bem, o partido é dele… E ele faz o que quiser, mas pqp ele está f#$@! Quem te viu quem te vê PT!

A vantagem é que ele é relativamente jovem pra política (48 anos, de acordo com a Wikipédia), mas quem é ele? Um picolé de chuchu da esquerda?

Pelo menos o chuchu da merenda escolar será bem refogadinho se ele for eleito…

Continua, parte 4 final.

Atualização em julho/2020.

Após as prévias petistas em maio nenhum dos três citados no texto foi o escolhido, o candidato do PT será o Jilmar Tatto. Cê conhece? Eu também não!

Por Astrovalda Junqueira

Ghost Writter, "Literateuta"
"Escrever para não enlouquecer, novo bálsamo à alma"