Categorias
escreva na quarentena política

É 2021 e o Kisuco já está fervendo!

São Paulo, janeiro de 2021.

Dia 301 da Trezentena.

Depois de praticamente dez meses em Quarentena, perdi as contas dos dias em confinamento e adiantei a contagem em dez dias, só depois me dei conta disso. Como já escrevi dois textos com a data adiantada, dez dias a mais ou a menos não farão tanta diferença assim.

Peço desculpas a você caro leitor, por esse transtorno, porém, também peço a sua compreensão, afinal são dez meses em desalinho…

E por falar em confusão, na prática aqui no Brazil a Quarentena acabou, só a pandemia que não.

Nos rincões da ZL desde meados de abril, os comércios fervilham, os ambulantes vendem suas mercadorias, as pessoas circulam, nos trens da CPTM lotados (menos abarrotados que antes é verdade) e a maioria dos mortais não pôde se dar ao luxo de fazer isolamento social.

Não culpo os autônomos, a grande maioria vende o almoço para garantir o jantar. Não receberam ajuda dos governos para atravessarem esse momento difícil. O desgoverno federal já deixou claro desde o princípio o seu plano de aniquilação em massa.

Sub-repticiamente é o que praticam também Dória Escroque, o ladrão de sorrisos e seu braço direito Bruno Coveiro.

Para eles 45% de aumento, para nós nem os restos de suas comidas.

C’est la Vie…

Nivelando por baixo, sou uma privilegiada da classe média falida, por poder estar em casa (ainda) depois de tanto tempo.

2021 parece que será auspicioso, a vacina contra a Covid chegou! Cinquenta países já correm atrás dos lucros e vacinam seus povos.

E o Brazil?! Ah, o Brazil… Motivado pela vingança, típica de pessoas inseguras, tem o desgoverno federal que corre atrás do prejuízo: caga e anda para a imunização em massa e a política do quanto pior melhor (a necropolítica) funciona serena, “ameaçada” apenas por pequenas notas de repúdio.

“Não vou comprar vachina, não vou correr atrás de laboratório, não vou usar o princípio da cláusula exorbitante prevista na lei 8666 e por isso não comprarei seringas. Pra que essa angústia? Esse despesero pra tomar uma picadura? Se você tomar vacina vai virar jacaré, chimpanzé, jacagado, só não vai virar X-Men...”

E assim seguimos; decadentes, desgovernados, ridicularizados perante os outros países, a política internacional do Brasil foi esfacelada nesses dois miseráveis anos.

Serão necessárias várias décadas para recuperar a relevância que um dia tivemos. Um dia fomos a sexta economia do mundo e hoje somos chacota, persona non grata no rolê internacional, a (in)consequência de apertar 17 na urna perdurará por anos a fio e choraremos lágrimas de sangue infelizmente.

Mas eu ia falar sobre os EUA, foi o mote para esse texto, aí eu me empolguei e falei da nossa República de bananas. Por falar nisso, assistindo ao JN hoje, um político Democrata afirmou que a tentativa de golpe que está rolando lá é digna de uma República de bananas, por que será que nessa hora me lembrei do Brazil?!

Voltemos aos EUA, os “baluartes da democracia e liberdades individuais”, o lugar cujo capitalismo de Weber supostamente deu certo, os arautos da moralidade e decoro do mundo que cagam regras pros outros países, os financiadores de ditaduras da América Latina e Oriente Médio.

Caíram na arapuca da liberdade que supostamente têm; como dizem os budistas nada é permanente. Quase 300 anos após a independência, Donald Orange Trump não quer largar o osso e tenta desesperadamente dar um golpe de Estado.

Igual ao dono da bola, que só deixa os outros jogarem quando é escalado no time, ele insiste em dizer que o resultado das eleições de lá foi fraude. Incitou os alt right a invadirem o Capitólio, diz que não aceita o resultado e não vão passar a faixa presidencial pro Biden.

É a verdadeira treta entre a latrina e o bidê…

E inevitalmente isso ressoará no Brazil. Óbvio que o despresidente vai copiar essa tosquice, vai bater o pé para não largar a teta em 2022, principalmente se perder para um candidato de centro-esquerda e principalmente se esta tentativa de golpe por parte do Trump causar abalos nas instituições daquele país.

E como o Brazil não é um país sério, infelizmente há uma possibilidade real dele lograr êxito nisso.

E para isso não acontecer aqui só existem duas saídas: a mais recomendável que é quebrar tudo, romper com essa lógica nefasta de privilégios pros que estão no topo da pirâmide, com direito a guilhotina para os que nos esfolam e esfregam em nossas caras, as suas benesses pagas com o nosso suor!

A História nos mostra que todas as rupturas sistemáticas foram violentas.

Caso contrário, a gente será obrigada a procurar outra saída não tão honrosa. O aeroporto internacional de Guarulhos…

“As imagens da invasão de manifestantes pró-Trump ao Capitólio dos Estados Unidos” https://twitter.com/i/events/1346894667636371457?s=09

Por Astrovalda Junqueira

Ghost Writter, "Literateuta"
"Escrever para não enlouquecer, novo bálsamo à alma"

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s