Categorias
Sem categoria

O Metrô das sete, sentido Paraíso

São Paulo, junho de 2020

Dia 94 da Noventena.

Armandinho, Rosana e Joselito.

No sentido horário, Rosana, Joselito e Armandinho.

Armandinho era metroviário da manutenção, lutador de raiz. A manutenção metroviária tem o quê do chão de fábrica, lá os trabalhadores são muito unidos e não dão pra trás nas mobilizações. E ele estava sempre presente, sabia que lutar por condições decentes de trabalho era preciso e por isso era uma referência para os outros trabalhadores de seu setor e além dele.

Rosana trabalhou mais de uma década no Sindicato dos Metroviários. Fazia a limpeza e era copeira, um serviço que a maioria das pessoas não valoriza e só percebe a importância quando a sujeira fica aparente. Ela tinha a expressão muito séria, quase cara de brava, provavelmente era um escudo para enfrentar as batalhas diárias de acordar cedo, morar longe do trabalho e ter visto de um tudo nessa vida.

Joselito foi operador de trem, de Norte a Sul carregou dezenas de milhões de pessoas todo esse tempo que trabalhou no Metrô. Não se furtava da luta; antes de partir era vice presidente da CIPA linha 1, resultado de seu esforço histórico em prol dos Metroviários. Era conhecido por ser uma pessoa muito tranquila e sorridente, o que tornava o peso do cotidiano mais leve e reacendia em quem o conheceu, a chama da esperança na luta.


Armandinho e Rosana não são apenas dois números nas 50 mil mortes por Covid. Aliás, foram 50 mil histórias interrompidas, todas eram pessoas importantes para alguém. E o que é mais triste dessa doença é que ela é traiçoeira, porque assim como foi com os dois, outros milhares devem ter melhorado, saído da UTI, e do nada, pioram rapidamente e morrem.

Joselito partiu de repente, minutos antes saudou a categoria metroviária na live sindical e de repente, passou mal e teve um infarto fulminante. Na mesma hora não estava mais aqui.

A vida é um presente efêmero, uma vela acesa que no vento mais forte se apaga…

É difícil entender certos desdobramentos da vida ou da morte, para quem permanece só resta a saudade e ter que lidar com a dor de não ter podido chorar corretamente os seus mortos. O Coronavírus roubou de todo mundo, sem exceção, o direito de fazer todo o ritual do luto que é necessário para entender e aceitar a morte.

Se nos serve de consolo, essas 3 pessoas que foram partes importantes na luta metroviária partiram no metrô das 7h com destino ao Paraíso e fizeram uma boa viagem.

O Paraíso de acordo com a crença ou não crença de cada um, pode ser o céu, pode ser um lugar bonito, pode ser simplesmente dormir um sono solto e descansar profundamente…

A nós que ainda permanecemos, resta a saudade e replicar seus legados.

Em síntese, só com a luta a vida muda.

Armandinho, Presente!

Rosana, Presente!

Joselito, Presente!

Categorias
política

Quase homófonas (uma poesia dadaísta)

Weintraub

Veneziana

Abraham

Jumentraub

Balaustrada

Ventilada

Vergonha

Esculhambada

Já vai tarde, para onde o sol não bate

Vai pro limbo, basculante

Catar ostra no ostracismo

Onde é o seu lugar.

Minha nossa senhora da bicicletinha 😮
Categorias
política

Oi sumido!

São Paulo, Junho de 2020

Dia 91 da Noventena.

Assim saudaram o Queiroz!

O kisuco de laranja ferveu de manhã cedinho. Queiroz, O sumido foi achado e preso.

Atibaia diversificou a cultura de frutas ricas em vitamina C, além de ser conhecida pelos morangos, agora tem plantio de laranjas.

E o PT ? O laranjal não foi achado no sítio do Lula. Estava na casa do advogado do estrume Planaltino. Tudo em família, que milícia! Oops que delícia!

G1

Queiroz diz que está muito doente. Será que ele será adoecido ou assassinado na cadeia? Antes das respostas que ansiamos? Será que ele vai confirmar o que já sabemos intimamente sobre a morte da Marielle? Não temos provas (ainda), mas temos convicção…

Enquanto ele fazia o “corpo do Benito” em SP, o genocida no Planalto saiu num rasante sem falar com ninguém, foi viajar pro Rio de Janeiro, a caminho do presídio? Não passava nem wi-fi.

Se o Queiroz morrer logo menos, vai ficar tudo muito mais suspeito…

Por falar em suspeito, que fim levou o corpo do Adriano miliciano e seus 13 celulares? E o delegado Waldir que disse que tinha áudios que poderiam derrubar o indevido do Planalto, tá tão caladinho, será que foi ameaçado?

Brasil pátria misteriosa…